quarta-feira, fevereiro 24, 2010

Simão, o Perspicaz

Personagens:
• Simão, 9 anos
• Eu

Cenário:
Passamos em frente de uma joalharia. Eu paro para namorar, na montra, os meus relógios predilectos: os Cartier. O Simão, ao meu lado, espreita-os, e, sarcástico, desdenha, continuando a andar:

Acção:
– Tão chiques, tão chiques, e tão ignorantes. O quatro em numeração romana não é assim que se escreve.

Etiquetas:

5 Comments:

Anonymous Visconde de Moët et Chandon said...

Boa Simão!V

10:17 da manhã  
Blogger Mak, o Mau said...

Por vezes, as crianças percebem melhor as coisas que nós, nas horas...

10:55 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

http://en.wikipedia.org/wiki/Roman_numerals#IIII_and_IV

10:09 da tarde  
Anonymous Miguel Santos said...

Que a criança foi perspicaz é um facto.
Agora dizer "tão chiques e tão ignorantes" revela ignorância de quem escreve.
Na numeração romana usou-se o IIII até à Idade Média, em alternativa ao IV, por "respeito" ao Deus Júpiter cujo nome em latim - IVPPITER - começava por IV.
Alguns fabricantes de relógios, não só a Cartier, optaram por usar a numeração alternativa por uma questão de estética.

10:54 da manhã  
Blogger chi dura vince said...

O Simão esteve bem, mas a explicação tem a ver com a simetria do mostrador do relógio, fazem-no deliberadamente.
Se tiver oportunidade há-de reparar no relógio do arco da rua Augusta, lá sucede o mesmo.

3:29 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home